Kiko Mello

KikoMello

Nome: Kiko Mello
Cidade/Estado: Curitiba/Paraná
Bio: Profissionalmente, gerente financeiro em uma fábrica e máquinas de equipamentos. Na área cervejeira, homebrewer desde 2011 com a Bera Craft Beer, beer hunter e degustador.
Atuação na cerveja: Cervejeiro(a) caseiro(a), Degustador(a), Beer hunter
Site/blog: Não informou
Facebook: https://www.facebook.com/beracraftbeer e https://www.facebook.com/kiryan
Twitter: Não informou.
Instagram: www.instagram.com/kiko_mello
Untappd: Não informou.

***

1) Melhor Ale produzida no Brasil
Tupiniquim Saison de Caju Au Vin. Primeiro por ser o meu estilo favorito, segundo pela receita original já me agradar bastante e ter sido uma colaborativa com Brian Strumke (nota do blog: cervejeiro da Stillwater), que entende muito do estilo e, finalmente, por me surpreender muito positivamente com o envelhecimento em barricas de vinho licoroso, com as belas notas de Brettanomyces e seca como se pede.

Onde você a provou?
Evento/festival cervejeiro

1a) Melhor IPA produzida no Brasil (American, English, Session, Imperial, Black, Belgian etc)
Swamp Hop Bite. Um fator preponderante, com certeza, é a minha proximidade com a fábrica. Tomar essa cerveja fresca é uma grande experiência; doses cavalares de lúpulos cítricos tão bem inseridos que o drinkability é absurdo. A Swamp é uma nova cervejaria curitibana que chegou com tudo em 2015; espero mais novidades este ano.

1b) Melhor Stout produzida no Brasil (Sweet, Dry, Export, Imperial etc)
Seasons Cirilo Coffee Stout. Sempre que vejo em algum lugar, trago uma para casa. É uma excelente Stout, com muito drinkability conquistado com sua grande carga de lúpulos, muito café pronunciado em um teor alcoólico que deixa tudo bem equilibrado.

2) Melhor Lager produzida no Brasil
Bamberg Franconian Rhapsody. A cervejaria teve uma feliz e assertiva escolha ao unir dois belos estilos alemães, Helles e Rauch. Dourada e translúcida, forma um colarinho generoso e cremoso, tendo uma apresentação impecável – no aroma, há uma mistura que eu classificaria como biscoito de bacon.

Onde você a provou?
Evento/festival cervejeiro, Bar/restaurante/loja

2a) Melhor Bock/Doppelbock produzida no Brasil
Gauden Bock. Uma grande cerveja, com todas as características que o estilo pede, encorpada, forte, aroma pronunciado de caramelo, toffee, baunilha e um belo e persistente creme bege.

3) Melhor Sour ou Wild Ale produzida no Brasil (cervejas ácidas)
Morada Amburana Sour. Mais uma loucura do alquimista Junqueira, muito ácida, âmbar, aroma caramelado e obviamente amadeirado. Essa mistura de madeira, acidez e dulçor nos deixa sempre intrigados para o próximo gole. Apesar de não parecer, achei com um excelente drinkability.

4) Melhor Barrel ou Wood Aged Beer produzida no Brasil (cervejas maturadas em madeira)
DUM Petroleum Carvalho Francês. A original eu tomo muito nos invernos e antes dos jogos do Atlético-PR, já que a sede da DUM fica a uns 30 metros da entrada da arena. A versão barrel aged no carvalho francês ficou ainda melhor, com aquela tosta característica, notas e especiarias, potente como sempre, com um leve dulçor contrastando perfeitamente com o amargo torrado. Que nunca falte!

5) Melhor Ale estrangeira à venda no Brasil
Fantôme Saison. Chega com um excelente custo/benefício. Fui agraciado com essa cerveja durante o ano inteiro. Um clássico do estilo, uma referência idealizada pelo mestre Dany Prignon, de uma interessantíssima cervejaria muito mais conhecida fora do seu país, a Bélgica. No copo apresenta a característica carbonatação do estilo, com um lindo creme, seu sabor ácido e caráter selvagem fazem jus à sua fama.

6) Melhor Lager estrangeira à venda no Brasil
Pilsner Urquell. Voto super conservador, mas não consigo fazer diferente, voto no mito !

7) Melhor Sour ou Wild Ale estrangeira à venda no Brasil (cervejas ácidas)
Rodenbach Vintage 2012. Rodenbach nunca decepciona, essa é de uma tiragem limitada e maturada em barris de carvalho por 2 anos. Envelhecida para blendar com outros rótulos mas nessa versão ela vem pura. Uma obra de arte.

8) Melhor Barrel ou Wood Aged Beer estrangeira à venda no Brasil (cervejas maturadas em madeira)
Rodenbach Vintage 2012.

9) Melhor cerveja caseira
Pandorga Rye Lager. Uma Rye Lager de respeito, mas em geral essa caseira vem abocanhando prêmios e mais prêmios por todos os lugares que passou e em diversos estilos. Tenho certeza de que em breve a veremos em escala comercial.

10) Há algum estilo de cerveja que careça de mais oferta de rótulos no Brasil? Qual?
Lambic. Falo de maneira geral, mas particularmente sinto muito a falta da Cantillon por aqui.

10a) Em 2015, você consumiu mais cervejas…
Nacionais

10b) Da mesma forma, em 2015 você tomou mais…
Chope/growler

11) Melhor bar cervejeiro ou brewpub ou taproom nacional
Hop’n Roll Curitiba. Quando eles inauguram alguma nova expansão do bar, o bar continua pequeno. Ótimo ambiente, eventos, excelentes opções on tap, músicas, equipe bem treinada, localização e agora começa a ganhar muito reconhecimento nacional.

11a) Melhor restaurante brasileiro com oferta de cervejas
Old West Curitiba.

11b) Qual o local brasileiro em que você tomou chope na melhor condição de qualidade?
Empório Alto dos Pinheiros. Além de bem servidos, bem armazenados, sempre traz opções bem exclusivas.

12) Melhor mídia cervejeira (blog, site, podcast, videocast, canal de Youtube, programa de rádio, programa de TV etc)
Bar do Celso.

12a) Melhor site de cervejaria nacional
Bodebrown.

12b) Melhor comunicação visual de cervejaria nacional
Morada Cia Etílica.

13) Melhor sommelier/sommelière de cerveja brasileiro(a)
Não votou.

14) Melhor evento cervejeiro nacional
Festival de Blumenau. Evento muito bem organizado, maior a cada edição, com grande procura do público e dos expositores, ótimas opções musicais e de gastronomia e tudo a preços justos. Um evento com pouco ou quase nada a reclamar.

15) Melhor fato cervejeiro do ano
O grande esforço conjunto de toda a cadeia (produtor, vendedor, consumidor) para que a cerveja artesanal se enquadre no Simples nacional. Alguns pequenos resultados locais já vão surgindo e o reconhecimento do valor da atividade por governos, autoridades e setores da economia também já começam a aparecer.

16) Pior fato cervejeiro do ano
Um fato extremamente polêmico, com muitas opiniões divergentes, mas eu considero sim o pior fator cervejeiro do ano a aquisição pela gigante do setor de duas grandes e consagradas cervejarias nacionais. Para as duas cervejarias, não tenho dúvidas de que seja ótimo negócio, mas para o setor é inegável que isso não fará bem. A compra dos PDVs, as grandes promoções, ou seja, a luta do poder econômico da gigante contra os pequenos não é algo que vejo com bons olhos.

17) Previsão cervejeira para 2016
2015 já foi o melhor ano cervejeiro no Brasil, com muitas cervejas boas, Saisons diversas, novidades de todos os estilos, uma grande coleção cheia de  barrel aged. Minha previsão e expectativa é de que algumas medidas econômicas tornem a cervejas artesanais mais acessíveis e, com esse incremento, muitas micros coloquem em prática seus planos de expansão. Como consumidor, acredito que virão muitas ácidas por aí.

18) O que você entende por escola cervejeira?
São as escolas/países que imprimiram de maneira original uma série de características próprias como seu estilo, tradição, insumos, método de fabricação, clima e consumo, criando assim, cervejas com DNA próprio.

18a) Na sua opinião, o Brasil conseguirá ter uma escola cervejeira própria um dia?
Não sei. Os Estados Unidos se tornaram uma escola por terem reinventado a cerveja de outras formas, mas com releituras próprias. Criaram cervejas extremas, muito amargas, muito alcoólicas, recriaram estilos que nem mesmo as escolas originais fabricavam mais. Na minha percepção o conceito de escola fica com as 3 tradicionais (Alemanha, Bélgica e Inglaterra), os demais são variações e experimentos. Para se tornar uma escola precisa ter tradição, então se criarmos alguns estilos únicos, com leveduras brasileiras, lúpulos brasileiros, maltes brasileiros, ainda assim precisaríamos do reconhecimento do tempo para nos tornarmos uma escola. Acredito ser possível, mas demoraria muito.

19) A situação econômica do Brasil fez com que você alterasse projetos e hábitos cervejeiros? De que forma?
Não, alterei vários hábitos, mas os cervejeiros não.

20) O que você acha de negociações (aquisição, fusão etc) entre grandes grupos cervejeiros e micro cervejarias?
Acho péssimo para o cenário micro, já citei no pior fato cervejeiro do ano.

21) Você ou sua empresa tem/têm alguma relação profissional/comercial com alguma das marcas e empresas citadas nos votos? Em caso afirmativo, favor especificar quais:
Não.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s